Pavilhão Japonês - Parque Ibirapuera SP

Cultura japonesa em São Paulo – 5 lugares para visitar

O Brasil tem 1,5 milhão de cidadãos de origem japonesa – a primeira maior população de japoneses e dependentes de japoneses fora do Japão – e a cidade de São Paulo reúne grande parte desse contingente, daí a diversidade de lugares relacionados à cultura japonesa na cidade.

São lugares cheios de história, curiosidades, entretenimento e que atraem grande número de visitantes. Alguns deles, inclusive, se encontram em pontos importantes da cidade, como é o caso da Japan House que está localizada na Avenida Paulista, do Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera e do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, que está localizado no Bairro da Liberdade. Já dá pra aproveitar e fazer duas visitas de uma só vez.

Cultura japonesa em São Paulo – 5 lugares para visitar

1. Bairro da Liberdade

Quem já não viu por aí a imagem de uma rua do Bairro da Liberdade com suas lanternas japonesas? Pois é, o Bairro da Liberdade é um dos pontos mais representativos da cultura japonesa em São Paulo, pois ele reúne história, cultura, culinária, produtos, templos, festivais, lojas e escolas de mangá e tantas outros temas relacionadas ao Japão. Aliás, não só do Japão como de outros países do oriente, por isso ele é conhecido como bairro oriental.

O fato é que é uma delícia passear por suas ruas! E nada melhor do que passear já sabendo quais os pontos devemos visitar e prestar mais atenção. Em Bairro da Liberdade – lazer, cultura e história conto mais sobre o bairro e sobre como fazer um walking-tour por suas ruas, não deixe de ler!

Bairro da Liberdade - SP

2. Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

O Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil fica na Rua São Joaquim, no Bairro da Liberdade e durante um walking-tour pelo bairro já podemos incluir uma visita a ele e aproveitar para aprender um pouco mais sobre como foi a imigração japonesa no Brasil e em quais circunstâncias ela ocorreu, aproveitando também para conhecer alguns dos mais de 90.000 itens do acervo do museu.

Mais detalhes sobre o museu e seu acervo você encontrará em Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil – Bairro da Liberdade.

Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

3. Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera

O Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera foi doado à São Paulo pela comunidade japonesa e inaugurado em 1954, durante a comemoração do quarto centenário da cidade. É administrado pela Associação Bunkyo.

Foi projetado pelo arquiteto Sutemi Horiguchi utilizando técnica construtiva tradicional japonesa e inspirado no Palácio Katsura de Kyoto.

Incluídos na visita estão a sala de exposição permanente, o lago de carpas, a sala de chá,  o jardim japonês e todo o espaço em volta do palácio.

No jardim há várias homenagens feitas através das plantas e árvores ali cultivadas. Em uma dessas homenagens, por exemplo, feita à amizade entre Brasil e Japão, podemos admirar um ipê-amarelo, típico do Brasil, plantado ao lado de uma cerejeira, típica do Japão.

A visitação ao Pavilhão Japonês pode ser feita às quartas, sábados, domingos e feriados, das 10h às 12h e das 13h às 17h. A entrada é grátis para crianças até 4 anos e maiores de 65. Crianças de 5 a 12 anos, adultos de 60 a 65 anos e estudantes pagam R$ 5,00. Quem tem entre 13 e 59 anos paga R$ 10,00.

Está localizado no Parque do Ibirapuera, entrada pelo portão 3 ou 10.

Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera SP

 

4. Japan House  

O projeto Japan House é uma iniciativa do governo japonês com a finalidade de divulgar a cultura japonesa para o mundo. Tanto aspectos da cultura tradicional quanto da cultura moderna e tecnológica. Promove exposições, mostras e apresentações de arte e artistas japoneses.

A unidade da Av. Paulista foi a terceira a ser instalada, as outras duas são a de Londres e a de Nova Iorque. 

A unidade brasileira foi desenhada pelo arquiteto Kengo Kuma e une elementos tradicionais a técnicas modernas da arquitetura. A fachada de madeira homenageia a arquitetura tradicional japonesa e se une ao cobogó, elemento típico brasileiro, originalmente de Recife, fazendo a conexão entre os dois países.

Além das exposições, outro atrativo é a biblioteca ou espaço multimídia, cuja curadoria foi feita pelo renomado especialista japonês Yoshitaka Haba e onde são disponibilizados livros japoneses, escritos em japonês, inglês e algumas obras traduzidas para o português. Há também uma coleção de mangás – em japonês. Todos os livros podem ser manuseados e lidos nos sofás dispostos no espaço.

Ao lado da biblioteca está o café Sabor Mirai onde podem ser saboreados quitutes diversos e cafés, é claro. O “Drip Coffee” é preparado na hora, na frente do cliente, com técnica, produto e temperatura específicas para torná-lo uma experiência marcante.

Há duas lojas de produtos japoneses, uma no andar térreo onde podem ser comprados e admirados produtos diversos e produtos relacionados às exposições do momento. E outra no primeiro andar, específica para uma técnica tradicional japonesa chamada “furoshiki”, que utiliza tecidos quadrados que, quando dobrados e amarrados, tornam-se lindas bolsas ou outros tipos de embalagens e utilidades. Os tecidos são importados do Japão.

Há ainda sala de reuniões/paletras/eventos e o restaurante Aizomê.

O acesso é gratuito e funciona de terça a sábado das 10h às 20h e aos domingos das 10h às 18h. Permanece fechada às segundas, inclusive sendo feriado.

O endereço é Av. Paulista, 52, próximo ao metrô Brigadeiro, linha verde. Há também diversas linhas de ônibus que passam na Av. Paulista e no entorno.

Para saber quais são as exposições do momento, acesse o site da Japan House.

Japan House São Paulo
A união da estrutura de madeira e do cobogó

 

5. Parque Ecológico Imigrantes

O Parque Ecológico Imigrantes está localizado na Rodovia dos Imigrantes, município de São Bernardo do Campo, a 25 km de São Paulo.

Foi uma iniciativa da Fundação Kunito Miyasaka, construído a partir de princípios de sustentabilidade e preservação da natureza. Esses princípios remetem a um dos valores da cultura japonesa, o Mottainai.

A visitação só pode ser feita mediante agendamento e é sempre acompanhada de um dos monitores do parque, especialmente treinados para apresentá-lo ao público.

Você pode ver mais sobre os detalhes da construção do parque e sobre o agendamento da visita em Parque Ecológico Imigrantes – como é a visita.

Parque Ecológico Imigrantes SP

 

Sobre alguns valores da cultura japonesa

Fonte: Palestra de Carla Okubo

Alguns dos valores da cultura japonesa se baseiam no código de honra dos samurais, guerreiros japoneses durante a época feudal. Valores como a honestidade, honra, disciplina, benevolência, dever, autocontrole e coragem se somam ao respeito, harmonia, gentileza, dedicação, sentimento de coletividade e tradição.

Apesar de serem palavras muito conhecidas por todas as culturas, nem sempre elas são colocadas em prática no dia-a-dia. No Japão, pelo contrário, muitos desses valores podem ser identificados no comportamento das pessoas nas ruas, nos serviços prestados, no tratamento recebido. A valorização da cultura e o orgulho pela história pode ser reconhecido em gestos pequenos e triviais, bastando atenção aos detalhes comportamentais.

Alguns dos valores são:

  • Ometenashi 

É a arte de bem servir, a hospitalidade, o cuidado que se tem com a pessoa a quem se está fazendo um favor ou prestando um serviço, preocupação em tratar a todos da melhor forma possível, antecipando suas necessidades e emanando um sentimento de gratidão ao próximo.

  • Omoiyari

Ter consideração e zelo com o que é do outro, demonstrar respeito, valorizar as diferenças e se colocar no lugar do outro sem julgamentos.

O respeito ao outro se manifesta na noção de que a harmonia coletiva antecede as necessidades de cada indivíduo e de que o grupo é mais forte do que o indivíduo.

  • Gamman

Sentimento de resistência e paciência. Ser persistente e encarar as dificuldades como aprendizado.

  • Mottainai

Preocupação em evitar o desperdício, mostrando respeito à natureza e aos recursos que dela utilizamos.  Reaproveitamento, reutilização, reciclagem, respeito. Podem ser relacionados a tempo, energia, materiais, espaço etc.

  • Kansha

Sentimento de gratidão por tudo e por todos, em todos os momentos da vida. Saber que o sucesso de cada indivíduo jamais seria possível sem a ajuda do próximo, seja da família ou do meio em que vive.

 

 

Valores admiráveis, não? Vamos conhecer um pouco mais da cultura japonesa visitando esses lugares? Você já conhece alguns deles?

Deixe sua opinião, dúvidas, sugestões e/ou correções nos comentários abaixo. Adoraria recebê-las!

Bons passeios!

 

 

 

Os lugares citados foram visitados durante a programação do III Japão.br, evento organizado pela Patrícia Takehana do blog Bagagem de Memórias, com o objetivo de divulgar a cultura japonesa.

O evento contou com o apoio dos seguintes parceiros: Associação Bunkyo, Fundação Kunito Miyasaka, Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, Japan House, Pavilhão Japonês, Parque Ecológico Imigrantes, Blue Tree Hotels, VempraLiba, Laço Cerâmicas, Carla Okubo, Designer Heloisa S.V., Restaurante São Paulo-Tokyo, Restaurante e Karaokê Samurai, Japan Sunset Escola, Himawari Taikô e Alfa.

Os seguintes blogs de viagem participaram: Bagagem de Memórias, Dani Turismo, Diário de Turista, Idas e Vindas da Carol, Let’s Fly Away, Partiu Viajar, Patrícia Viaja, Por Mais um Carimbo, Qualquer viagem. Eu vou!, Rodas nos Pés, SP da Garoa, São Paulo Sem Mesmice, Trilha MarupiaraViagens de Cá pra Lá.

 

III Japão.br

 

Publicado em agosto/2019

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.